Manifest Mf Codebase Forex




Manifest Mf Codebase ForexTrabalhando com Arquivos Manifestos: Os Arquivos basicos do JAR suportam uma ampla gama de funcionalidades, incluindo assinatura eletronica, controle de versao, selagem de pacotes e outros. O que da ao arquivo JAR essa versatilidade. A resposta e o manifesto do arquivo JAR. O manifesto e um arquivo especial que pode conter informacoes sobre os arquivos empacotados em um arquivo JAR. Ao adaptar esta informacao quotmetaquot que o manifesto contem, voce habilita o arquivo JAR para atender uma variedade de propositos. Esta licao explicara o conteudo do arquivo de manifesto e mostrara como trabalhar com ele, com exemplos para os recursos basicos: quando voce cria um arquivo JAR, um manifesto padrao e criado automaticamente. Esta secao descreve o manifesto padrao. Esta secao mostra o metodo basico de modificar um arquivo de manifesto. As secoes posteriores demonstram modificacoes especificas que voce deseja fazer. Esta secao descreve como usar o cabecalho de classe principal no arquivo de manifesto para definir o ponto de entrada de um aplicativo. Esta secao descreve como usar o cabecalho Class-Path no arquivo de manifesto para adicionar classes em outros arquivos JAR ao classpath ao executar um applet ou aplicativo. Esta secao descreve como usar os cabecalhos da versao do pacote no arquivo de manifesto. Esta secao descreve como selar pacotes dentro de um arquivo JAR modificando o arquivo de manifesto. Esta secao descreve como usar atributos de manifesto para aumentar a seguranca de um applet ou aplicativo Java Web Start. Informacoes adicionais Uma especificacao do formato de manifesto faz parte da documentacao JDK on-line. O uso desta pagina e de todo o material nas paginas sob o titulo. O banner Java Tutorialsquot esta sujeito a estes avisos legais. Copyright copy 1995, 2015 Oracle e suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Sugestoes de complicacoes de complicacoes De-nos o seu feedback. Atributos de manifesto de arquivos JAR para seguranca O manifesto do arquivo JAR contem informacoes sobre o conteudo do arquivo JAR, incluindo informacoes de seguranca e configuracao. Use os atributos de manifesto descritos nesta secao para melhorar a seguranca de executar RIAs de um navegador. Adicione os atributos ao manifesto antes do arquivo JAR estar assinado. Consulte Modificando um Arquivo Manifesto no Tutorial Java para obter informacoes sobre como adicionar atributos ao arquivo de manifesto JAR. Nota: estes atributos aplicam-se a applets assinados e aplicativos Java Web Start. Esses atributos sao ignorados para aplicativos Java autonomos. Atributo de permissoes O atributo Permissoes e usado para verificar se o nivel de permissoes solicitado pelo RIA quando ele e executado corresponde ao nivel de permissoes que foi configurado quando o arquivo JAR foi criado. Use este atributo para ajudar a impedir que alguem re-implantacao de um aplicativo que esteja assinado com seu certificado e executa-lo em um nivel de privilegio diferente. Defina este atributo para um dos seguintes valores: sandbox - Indica que o RIA e executado no sandbox de seguranca e nao requer permissoes adicionais. Todas as permissoes - Indica que o RIA requer acesso aos recursos do sistema dos usuarios. Para aplicativos e applets Java Web Start que usam JNLP, o valor do atributo Permissoes deve corresponder ao nivel de permissao solicitado no arquivo JNLP ou combinar a permissao padrao se nenhum nivel de permissao for solicitado. Caso contrario, um erro e mostrado e o RIA esta bloqueado. Consulte Estrutura do Arquivo JNLP para obter informacoes sobre o elemento de seguranca que e usado para solicitar o nivel de permissoes. Se o elemento nao estiver presente, o nivel de permissoes e padrao para sandbox. Para applets que nao usam JNLP, o valor do atributo Permissoes deve corresponder ao nivel de permissoes solicitado na etiqueta do applet. Caso contrario, um erro e mostrado e o RIA esta bloqueado. Se a etiqueta do applet nao contiver um nivel de permissoes, as applets assinadas sao executadas com o nivel de permissoes definido pelo atributo Permissoes. Consulte Implantando com o Tag do Applet para obter informacoes sobre a configuracao do nivel de permissoes na etiqueta do applet. Se o controle deslizante Nivel de seguranca no Painel de controle Java estiver definido como Muito alto ou alto. O atributo Permissoes e requerido no arquivo JAR principal para o RIA. Se o atributo nao estiver presente, o RIA esta bloqueado. Para o nivel de seguranca Medio, se o atributo Permissoes nao estiver presente, o prompt de seguranca contem um aviso amarelo sobre o atributo ausente e o nivel de permissao solicitado pelo RIA e usado. Atributo Codebase O atributo Codebase e usado para restringir a base de codigo do arquivo JAR a dominios especificos. Utilize este atributo para evitar que alguem re-implanta seu aplicativo em outro site para fins maliciosos. Observacao: se o atributo Codebase nao especificar um servidor seguro, como HTTPS. Existe algum risco de que o seu codigo possa ser reutilizado em esquemas de ataque de Man-in-the-Middle (MITM). Defina este atributo para o nome de dominio ou o endereco IP onde o arquivo JAR para o aplicativo esta localizado. O protocolo e o numero da porta tambem podem ser incluidos. Para locais multiplos, separe os valores com um espaco. Um asterisco () pode ser usado como um curinga apenas no inicio do nome de dominio e nao pode ser usado apenas com um dominio de nivel superior, como. A tabela a seguir mostra valores de amostra e o que eles combinam. O valor do atributo Codebase deve corresponder a localizacao do arquivo JAR para o RIA. Caso contrario, um erro e mostrado e o RIA esta bloqueado. Se o atributo nao estiver presente, um aviso sera gravado no Console de Java e a base de codigo especificada para a marca do applet ou o arquivo JNLP sera usado. Atributo de nome de aplicativo O atributo de nome de aplicativo e usado em prompts de seguranca para fornecer um titulo para o RIA assinado. O uso deste atributo e recomendado para ajudar os usuarios a tomar a decisao de confiar e executar o RIA. O valor pode ser qualquer string valida, por exemplo: se o atributo Application-Name nao estiver presente no manifesto do arquivo JAR, um aviso sera gravado no Console Java e o valor para o atributo Main-Class sera usado. Se nenhum dos atributos estiver presente no manifesto, nenhum titulo sera exibido nas instrucoes de seguranca. Os titulos nao sao mostrados para RIAs nao assinados. Atributo Application-Library-Allowable-Codebase O atributo Application-Library-Allowable-Codebase identifica os locais onde o RIA assinado devera ser encontrado. Este atributo e usado para determinar o que esta listado no campo Localizacao para o prompt de seguranca que e mostrado aos usuarios quando o arquivo JAR para seu RIA esta em uma localizacao diferente do arquivo JNLP ou pagina HTML que inicia seu RIA. Se os arquivos nao estao nos locais identificados, o RIA esta bloqueado. Defina este atributo para os dominios onde o arquivo JAR, o arquivo JNLP e a pagina HTML estao localizados. Para especificar mais de um dominio, separe os dominios por um espaco, por exemplo: se o atributo Application-Library-Allowable-Codebase estiver presente e corresponder ao local a partir do qual o RIA for iniciado, um unico host esta listado no campo Localizacao Para o prompt e a opcao de ocultar prompts futuros e fornecida. Se este atributo estiver presente e os arquivos forem acessados ??a partir de um local nao incluido para o atributo, o RIA sera bloqueado. Se esse atributo nao estiver presente, varios hosts que correspondem as localizacoes do arquivo JAR e do arquivo JNLP ou pagina HTML estao listados no campo Local para o prompt. Quando varios hosts sao mostrados, o usuario nao tem a opcao de ocultar prompts futuros. O uso deste atributo e recomendado para que os arquivos para o RIA sejam acessados ??apenas a partir de locais conhecidos. Este atributo nao e necessario se o arquivo JAR para o RIA estiver no mesmo local que o arquivo JNLP ou a pagina HTML que inicia o RIA. Consulte Atributo da Base de Dados para uma descricao dos valores que sao permitidos. Atributo Callable-Allowable-Codebase O atributo Callable-Allowable-Codebase e usado para identificar os dominios a partir dos quais o codigo JavaScript pode fazer chamadas no RIA sem instrucoes de seguranca. Defina este atributo para o dominio que hospeda o codigo JavaScript. Se uma chamada e feita a partir de codigo JavaScript que nao esta localizado em um dominio especificado pelo atributo Callable-Allowable-Codebase, a chamada esta bloqueada. Para especificar mais de um dominio, separe os dominios por um espaco, por exemplo: Se o atributo Callable-Allowable-Codebase nao estiver presente, as chamadas do codigo JavaScript para o RIA mostram um aviso de seguranca e os usuarios podem optar por permitir a chamada Ou bloquear a chamada. Para RIAs nao assinados, o codigo JavaScript que requer acesso ao RIA deve estar no mesmo local que o arquivo JAR principal para seu RIA, caso contrario, o usuario sera solicitado a permitir o acesso. Os prompts de seguranca sao mostrados para cada instancia classLoader do Applet. Consulte Atributo da Base de Dados para uma descricao dos valores que sao permitidos. Se um asterisco autonomo () for especificado como o valor para o atributo Callable-Allowable-Codebase, as chamadas do codigo JavaScript para o RIA mostram um aviso de seguranca e os usuarios podem escolher a chamada ou bloquear a chamada. Uma opcao para lembrar a escolha tambem e fornecida e, se selecionada, o aviso ja nao e exibido quando o RIA e iniciado. Atributo de ponto de entrada O atributo de ponto de entrada e usado para identificar as classes que podem ser usadas como pontos de entrada para seu RIA. Identificar os pontos de entrada ajuda a evitar que o codigo nao autorizado seja executado quando um arquivo JAR possui mais de uma classe com um metodo main (), varias classes Applet ou varias classes JavaFX Application. Defina este atributo para o nome da classe totalmente qualificado que pode ser usado como ponto de entrada para o RIA. Para especificar mais de uma classe, separe as classes por um espaco, por exemplo: Entry-Point: apps. test. TestUI apps. test. TestCLI Se o manifesto JAR estiver assinado e o ponto de entrada da classe principal ou do applet especificado em O arquivo JNLP ou o descritor da aplicacao diferem da classe especificada para o atributo Entry-Point, entao o RIA esta bloqueado. Se o atributo Entry-Point nao estiver presente, qualquer classe com um metodo main (), ou qualquer classe Applet ou JavaFX Application no arquivo JAR pode ser usada para iniciar seu RIA. O atributo Trusted-Only e usado para evitar que classes ou recursos nao confiaveis ??sejam carregados para um applet ou aplicativo. Defina o valor do atributo como verdadeiro. Por exemplo: Este atributo impede que uma aplicacao ou applet privilegiada seja reutilizada com componentes nao confiaveis. Todas as classes e recursos no aplicativo ou no applet devem ser assinados e solicitar todas as permissoes. O atributo Trusted-Library e usado para aplicativos e applets projetados para permitir componentes nao confiaveis. Nao e exibida nenhuma caixa de dialogo de aviso e um aplicativo ou applet pode carregar arquivos JAR que contenham classes ou recursos nao confiaveis. Defina o valor do atributo como verdadeiro. Por exemplo: Este atributo evita que os componentes de uma aplicacao ou applet privilegiada sejam reutilizados com componentes nao confiaveis. Todas as classes e recursos em um arquivo JAR contendo esse atributo de manifesto devem ser assinados e solicitar todas as permissoes. Em um aplicativo ou applet de codigo misto, todas as classes e recursos privilegiados devem ser incluidos em arquivos JAR que contenham o atributo Trusted-Library. Esse atributo e usado para chamadas entre o codigo Java privilegiado Java code sandbox. Se voce tiver o codigo JavaScript que chama o codigo Java, consulte Atributo do Callable-Allowable-Codebase. Todos os JAR de biblioteca confiaveis ??sao carregados em um carregador de classe dedicado separado que e exclusivo da instancia do aplicativo ou do applet. Este carregador Trusted-Library e agora o pai do carregador da classe normal do Web Start ou do applet. Para compatibilidade com a ordem de busca original, ambos os carregadores cooperam para implementar um caminho de classe comum. Em consonancia com as versoes anteriores, os arquivos JAR usam downloads preguicosos e sao abertos conforme necessario para encontrar as classes e os recursos solicitados. O codigo em um arquivo JAR que deve ser marcado com o atributo de manifesto Trusted-Library pode precisar ser modificado um pouco se ele usar chamadas que dependem de classe loader, como a versao de parametro unico de Class. forName (). Class. getResource (). E Class. getResourceAsStream (). Algumas variantes de java. util. ResourceBundle. getBundle (). E quaisquer outros metodos que operam em relacao a seus contadores imediatos que definem o carregador. As alteracoes so precisam ser feitas se a classe ou o recurso solicitado puderem ser encontrados em um arquivo JAR que nao seja uma Biblioteca Trusted (e, portanto, e carregado pelo carregador da classe normal do Web Start ou do applet). O codigo em uma Trusted-Library pode procurar o carregador normal invocando Thread. currentThread (). GetContextClassLoader (). Note, no entanto, que existem circunstancias incomuns em que getContextClassLoader () pode retornar nulo. Por exemplo, isso pode acontecer quando o coletor de lixo usa um fio do sistema JRE para invocar o metodo Object. finalize () de uma instancia inacessivel. Se voce precisa converter classe para Class. getResource () ou Class. getResourceAsStream () para seus equivalentes ClassLoader, lembre-se de ajustar o parametro de sequencia de caracteres conforme descrito pela documentacao para esses dois metodos. Se o nome do recurso original comecou. Entao era um nome absoluto e o lider simplesmente precisa ser removido. Caso contrario, determine se a instancia da classe que foi o alvo da chamada getResource esta em um pacote nomeado. Se for uma matriz, voce deve primeiro determinar o tipo de componente subjacente da matriz. Invoque Class. getName () na instancia do tipo de classe ou componente. Se o nome da classe contiver qualquer. Caracteres, esta em um pacote nomeado que precisara ser pre-passado ao nome do recurso original. Determine o nome do pacote removendo os caracteres depois, e inclusive, o fim. personagem. Em seguida, substitua qualquer restante. Personagens com personagens. Finalmente, adicione uma sequencia e anexe a string do nome do recurso original. Essa nova string agora pode ser passada para a versao ClassLoader dos metodos getResource () ou getResourceAsStream (). Geralmente, deve-se ter cuidado para garantir que o codigo na biblioteca confiavel seja escrito de forma cuidadosa e segura e, de outra forma, e compativel com a carga em uma instancia de carregador de classe separada de quaisquer frascos restantes que fazem parte do aplicativo e sejam carregados por O carregador normal. Informacoes adicionais Consulte Mixing Privileged Code e Sandbox Code para obter informacoes sobre o uso de atributos de manifesto para gerenciar chamadas de codigo nao confiavel. Consulte Prevencao de RIAs de serem repurposados ??para obter informacoes sobre o uso de atributos de manifesto para garantir que o nivel de permissao correto ea base de codigo sejam usados. Para obter informacoes sobre como adicionar atributos ao arquivo de manifesto JAR, consulte Modificando um arquivo manifesto no tutorial Java.